Histórico da Paróquia

A Paróquia Santíssima Trindade, conhecida como a Igreja que pegou fogo, é uma paróquia da Igreja Católica Apostólica Romana, pertencente à Arquidiocese de Curitiba, no Paraná. O templo atual (segundo templo) foi inaugurado em 17 de maio de 2002, uma vez que o primeiro templo foi consumido por um incêndio na madrugada de 19 de janeiro de 1999. A construção do templo atual deu-se por esforço de toda comunidade sob impulso e motivação do então pároco, Padre Adriano (presbítero diocesano). Desde a elevação de Capela à condição de Paróquia, são os padres diocesanos que dirigem a Paróquia.

A origem desta paróquia se remete ao ano de 1975 quando aconteceram as Santas Missões na Arquidiocese de Curitiba, sendo pregadas pelos Padres Redentoristas. Na ocasião, nossa comunidade pertencia para a Paróquia São José, do Vila Oficinas, que na época continha cinco comunidades: a Matriz São José e as capelas Mãe do Divino Amor (anexa ao Seminário Maior Mãe do Divino Amor, dos Padres Palotinos), São Tiago (às margens da Rodovia BR 277), São Vicente Pallotti (antiga comunidade Agro-Matte) e a Santíssima Trindade (situada entre a Vila dos Bancários e a linha do trem, no final da Rua dos Ferroviários). Foi necessária a utilização de um barracão na Rua dos Ferroviários, onde funcionava uma fábrica de detergente, para realização das Santas Missões, percebeu-se então, a necessidade da criação de uma capela na região para atender a demanda de fiéis que aumentava a cada dia.

Celebração do Crisma

A 24 de Outubro de 1976, por ocasião da Celebração do Sacramento da Crisma na Matriz da Paróquia de São José, Vila Oficinas, sua Excelência Reverendíssima Dom Pedro Fedalto, coloca a comunidade recém criada sob a proteção da Santíssima Trindade.

Em 05 de junho de 1977 acontece a primeira Festa em Honra à Santíssima Trindade, com a missa presidida por Dom Pedro Fedalto. Naquele mesmo ano, a 08 de abril, adquire-se o primeiro terreno, com o apoio do Padre José Schwind SAC, do Seminário Palotino. O terreno adquirido, situado à Rua dos Ferroviários s/nº, onde durante 16 anos funcionariam as atividades religiosas da Capela Santíssima Trindade, é o local onde hoje está o Salão Paroquial Papa João Paulo II.

Em 1986 chega na comunidade as Irmãs Missionárias Combonianas, permanecendo até dezembro de 2010. Dois anos depois (1989), adquire-se mais um terreno já com uma casa, sito à Rua Santa Mariana nº 82, onde por alguns anos funcionaria as atividades da Pastoral do Menor e hoje se encontra a casa paroquial.

No ano de 1990 é construído, na Vila Autódromo, o Centro Comunitário Católico Santos Inocentes, com o principal objetivo de amparar adequadamente o trabalho da Pastoral da Criança e desenvolver outras atividades na área social. Neste mesmo ano adquire-se o terreno que seria destinado para a construção da igreja definitiva. Na Festa da Santíssima Trindade, Padre Roberto, na época Vigário na Paróquia São José, lança a pedra fundamental do novo templo, durante missa solene, no local.

Fotos da Primeira Igreja

A Igreja é iniciada em 10 de janeiro de 1991 com os alicerces, ficando parada neste novo estágio por um tempo. Em janeiro de 1992 é dada a continuidade nas obras da nova igreja, que possuía estilo gótico. Um ano após, em 06 de junho, é inaugurado com a bênção de Dom Pedro Fedalto, o templo ainda na condição de Capela Santíssima Trindade, após a celebração eucarística presidida pelo Arcebispo e concelebrada pelos Padres Manoel Coelho de Souza SAC, pároco de São José – Vila Oficinas, José Schwind SAC e Humberto Geller SAC, do Seminário.

Em 1994 chegam na comunidade as Irmãs de São José de Chambéry.

A 02 de agosto de 1998, o Padre Odair Calezulato SAC escreveu ao então Arcebispo Metropolitano Dom Pedro Antônio Marchetti Fedalto, dizendo-lhe que o povo solicitava a paróquia, fazendo o mesmo com o Provincial dos Palotinos, Padre Ernesto Krause SAC. Este respondeu, fazendo sentir aos Padres Palotinos, que desejavam a paróquia, que a Congregação Palotina não dispunha de sacerdotes para assumir a paróquia no momento, renunciando a oportunidade.

Em 08 de dezembro de 1998, Dom Pedro Fedalto, expede o decreto criando a Paróquia Santíssima Trindade, onde toma posse, no dia 11 de dezembro de 1998, o Padre Adriano Olivério Monteiro Pinto, padre diocesano.

Às 4 horas da manhã da terça-feira, 19 de janeiro de 1999, um incêndio destrói todo o interior da Igreja que havia sido construída há 5 anos, queimando bancos, imagens de santos e o altar.

Salão onde eram realizadas as Santas Missas

Para surpresa e comoção dos fiéis, o pedestal de madeira, onde fica a imagem de Nossa Senhora Aparecida, fica intacto. Três viaturas dos bombeiros são acionadas, mas, infelizmente, o sinistro reduziu a cinzas o local. Diante do ocorrido, as atividades retornam para o salão. Dias depois, acontece uma grande chuva e a jovem Paróquia é vítima de enchentes. Nos meses que se seguem, o Padre Adriano, juntamente com as lideranças da paróquia, providenciam as adaptações do Salão, o término das salas de catequese, o revestimento do pátio, a reforma da casa da Pastoral do Menor, que se torna então a Casa Paroquial, a reforma do Centro Comunitário Santos Inocentes (que é chamado carinhosamente de “capela”, ainda que não haja documento eclesiástico oficial) e murando o terreno onde seria reerguida a nova igreja.

No dia 17 de maio de 2002, o Pároco Padre Adriano entrega para a Vila Oficinas o novo templo da Paróquia Santíssima Trindade, em Missa Solene, presidida por Dom Pedro Fedalto, com a presença fraterna de Dom Sergio Arthur Braschi, Bispo Auxiliar de Curitiba, padres, diáconos, seminaristas e o povo da comunidade (efetivo construtor do novo templo).

O templo tem traços arquitetônicos simples tendo 28,05 metros de comprimento por 16,89 metros de largura, totalizando uma área de 473,76 metros quadrados.

A pintura do ícone da Santíssima Trindade foi feita pelo artista Laertes Rodrigues, que entregou a obra em Abril de 2002. Nos pedestais laterais, do lado esquerdo de quem entra pela porta principal do templo, está a imagem de São José (na frente, ao lado do presbitério), doação das Irmãs de São José de Chambéry; e a imagem do Sagrado Coração de Jesus, no mesmo lado esquerdo, ao fundo do templo; do lado direito, a frente e ao lado do presbitério está a imagem de Nossa Senhora da Luz; e ao fundo no templo a imagem de São Vicente Pallotti, referência e gratidão à congregação religiosa dos padres palotinos, que eram os responsáveis pela comunidade até a mesma ser elevada a condição de paróquia. No corpo da igreja (nave) há 12 colunas, que remetem aos 12 Apóstolos, e foram consagradas, cada uma delas, por Dom Pedro Fedalto. No alto da porta principal há um crucifixo entalhado em madeira, peça única e exclusiva doada pelo Padre Cônego Genivaldo Ximendes da Silva, onde, artisticamente, estão representadas as Três Pessoas da Santíssima Trindade (O Pai, o Filho e o Espírito Santo). Junto à construção da Igreja, próximo ao estacionamento, há uma gruta com a imagem de Nossa Senhora Aparecida.

Em 22 de Setembro de 2002 o Padre Adriano deixa a Paróquia para ser substituído pelo Padre José Mauri da Cruz. Este, em 07 de abril de 2005, dá início à construção do novo salão paroquial, denominando-o “Salão Paroquial Papa João Paulo II”, devido a sua intercessão para o início das obras, cujo pedido foi feito pelo Padre José Mauri, em documento próprio, arquivado na secretaria da paróquia. Consta-se que, ainda nessa época, a Paróquia recebeu ajuda financeira, vinda de Roma, do Fundo “Misereor”, para auxiliar na obra do Salão Paroquial, feito esse também atribuído à intercessão do Papa João Paulo II (falecido em 02 de abril de 2005).

No ano de 2007, o Padre José Mauri é transferido e quem assume em seu lugar é o Padre José Roberto de Souza, no dia 03 de Janeiro de 2007, sendo o pároco atual. O Salão Paroquial Papa João Paulo II é inaugurado em meados de 2007.

No dia 10 de Outubro de 2009 – dia de São Daniel Comboni – o Sr. Joaquim Cardoso de Oliveira, recebe o Sacramento da Ordem no Grau do Diaconado, por imposição das mãos e oração consacratória de Dom Dirceu Vegini, então Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Curitiba, e é incardinado na paróquia para exercer seu ministério diaconal em comunhão com o pároco, onde trabalha até os dias de hoje.

Em 15 de outubro de 2015, recebemos em nossa Paróquia, a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida, a qual permanecendo apenas um dia, percorreu todos os setores da comunidade.

A Igreja Matriz recebe aos finais de semana um contingente de fiéis de aproximadamente 800 pessoas.

Atualmente a Paróquia Santíssima Trindade está dividida em 15 setores e, contando com os esforços das pastorais, serviços, movimentos e de toda comunidade, sob orientação do pároco, trabalha para a plena ativação e desenvolvimento destes mesmos setores paroquiais em um trabalho de evangelização.

Comments are closed.